Pornografia para crianças?

thumb

Não, não se trata de pornografia infantil, aquela que mobiliza centenas de milhares de tarados, doentes, pervertidos e criminosos em geral ao redor do mundo, rende milhões de dólares e corrói generalizadamente a alma dos pobres inocentes envolvidos.

Não, o papo aqui é o acesso de crianças e adolescentes à pornografia.

Desconheço números ou pesquisas que deem a dimensão exata do problema, mas ele é grave, cresce e assusta.

Senão, vejamos duas informações recentes com as quais tive contato – omitindo nomes e fontes, porque este é um assunto por demais delicado.

Uma médica norte-americana especializada em atendimento ginecológico a adolescentes revelou outro dia que é cada vez maior o número de meninas que a procuram, muitas vezes de maneira envergonhada e escondida dos pais, para trata de problemas sérios – dilacerações, incontinências, infecções e coisas do gênero – causado por sexo anal.

Depois de fazer considerações sobre a anatomia das meninas, totalmente imprópria para este tipo de atividade, portanto suscetível a toda modalidade de ferimentos, a especialista relatou que as jovens acabam partindo para esta prática ou por insistência dos meninos e/ou por considerá-las ok. Os meninos insistem e elas acham ok porque veem isso acontecer muito, o tempo todo na internet. E como elas também assistem àquilo tudo como fonte de prazer, acham que tudo bem.

É atraente, parece fácil, parece gostoso, parece “cool”? Mas não é. O que se vê na internet em geral é coito praticado por adultos profissionais,  impossível de ser replicado por corpinhos ainda em formação.

Machuca, humilha, fere a intimidade e a alma dessas crianças.

A outra informação é daqui mesmo, prestada por uma mãe classe média alta, esclarecida e afeita às tecnologias. Ela relatou que está por demais preocupada com todos os tipos de perversão a que os pequenos têm acesso facílimo via internet.

Pior: via telefones celulares, smartphones.

Como disse, esta mulher é afeita a tecnologias, assim ela e o marido, logo que tomaram conhecimento do problema, bloquearam o aparelho dos filhos para conteúdos impróprios, controlando aquilo que eles acessam.

Resolvido o problema?

Não.

Porque outros pais de outras crianças não se deram conta do que está acontecendo – ou simplesmente não estão nem aí. Assim, os filhos deste casal continuam tendo fácil acesso a pornografias por meio dos aparelhos de coleguinhas em sua escola. E sua escola é uma das melhores e mais conceituadas de São Paulo…

Afirmei acima que desconheço a proporção do problema, mas há um dado que permite a gente avaliar (e se apavorar com…) o tamanho do estrago que esta situação pode causar na formação sexual e moral de nossas crianças. Uma pesquisa divulgada pelo Comitê Gestor da Internet do Brasil revela que nada menos que 82% de nossos jovens acessam a internet por meio de celulares – estes mesmos celulares em que a pornografia pulula livremente.

Sabe qual é a idade dos que responderam à pesquisa? Entre 9 e 17 anos…

 

thumb-2

 

Faça um teste agora: digite na busca do seu celular as palavras “sexo grátis”. Fez? Eu também fiz: são centenas de páginas, sites em que basta um click para ver coisas que deixariam coradas a mais liberal das pessoas: banhos de esperma, transas a quatro ou cinco, dupla ou tripla penetração, sexo com animais e por aí vai…

Ok, você pode bloquear o celular do seu filho ou filha, é um ótimo começo, tente aplicativos como Kids Control, Kaspersky Parental Control, Family Guardian, Smylesafe Parental Controls ou Net Nanny, por exemplo – há outros.

Sim, o assunto é incômodo, difícil, constrangedor, mas converse com sua cria, seja amigo, parceiro, interessado, pergunte a ele sobre seus hábitos e os hábitos de seus amigos, conheça estes amigos e suas famílias, fale abertamente sobre os perigos desta vida, como fazer sexo, sobretudo desregrado e devasso, antes de se tornar adulto  – depois, fica a critério de cada um.

Mas não faça de conta que seu filho usa o celular apenas para joguinhos inocentes e para mandar Whatsapp pra você.

Provavelmente isso não é verdade.

 

Comments

comments

4 pensamentos em “Pornografia para crianças?”

  1. Não sei se posso (ou se devo) publicar comentários de outras pessoas aqui. Mas como foi deixado na minha tripa de comentários do Facebook – a respeito dessa coluna – eu suponho que seja de domínio público (cabe a voce – Caversan, a decisão)

    Aqui esta:

    De : Maria Luíza Mahfud:
    Na minha opinião, o comportamento sexual precoce não está atrelado somente ao fácil acesso que as crianças têm a esse tipo de site. Até porque, a curiosidade é algo natural, que faz parte da infância. Acho que a raiz está no fato de, cada vez mais, a sociedade normalizar a sexualizaçao infantil – ou seja: o problema é o adulto, não a criança. Esses funks que viralizam e são febre no Brasil inteiro, tocando nas festinhas infantis e ecoando na cabeça de meninas que nem sequer menstruaram. Esse tal de MC Brinquedo, por exemplo, que tem 14 ANOS, faz sucesso e dinheiro cantando músicas cuja letra faz menção explícita a sexo com “novinhas”, inclusive um dos hits dele chama “Roça”. E eu fico me perguntando, pra alguém no auge de seus ilustres 14 anos, o que seria uma “novinha”?!?! Uma garota de dez anos?!?! Que tal oito?? Pois é, a MC Melody, tem OITO anos de idade e faz sucesso com clipes como esse: https://youtu.be/SG10lkq9y0g . A questão é: nenhuma criança faz uma produção dessas sem a instrução de um adulto por trás. Nenhuma criança faz shows com 100% das músicas fazendo apologia a sexo pra milhares de “novinhos” ouvirem sem que tenha tido um adulto apoiando, bancando e – sobretudo – lucrando com tudo isso. No caso da Melody, o produtor dela é o próprio pai. Sim, o pai sexualiza a filha dessa maneira escancarada. Se essas crianças, de um colégio caro estão sujeitas a tal problema, imaginem a menina da periferia que nem acesso à ginecologista tem. E tem como fonte de informaçao, no lugar de uma aula de educaçao sexual, músicas machistas cantadas por pivetes que as ensinam que desde “novinha” a menina tem que se comportar de maneira ULTRA sexualizada de sorte a ser enxergada. Isso não é liberdade sexual. Isso beira o abuso.

    Maria Luíza Mahfud:

  2. I’ve been surfing on-line more than three hours these
    days, yet I by no means found any interesting article
    like yours. It is pretty worth sufficient for me.
    In my opinion, if all site owners and bloggers made excellent content as
    you did, the internet will be much more helpful than ever before. http://Www.yahoo.net/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *