Mãe é mãe, mas nem todas são felizes

mãos e corações

__________________________

Como já se falou muito, mãe é mãe, não é?

E como todo mundo também já sabe: 

Mãe diz que é pra gente se cuidar.
Mãe diz que a gente come pouco.
Mãe diz que a gente come demais.
Mãe briga que a gente dorme mal.
Mãe dorme mal.
Mãe é linda.
Mãe é carinhosa.
Mãe enche o saco.
Mãe é carente.
Mãe é exigente.
Mãe faz a gente sentir culpa.
Mãe sente culpa.
Mãe fica doente pela gente.
Mãe é capaz de matar ou morrer.
Mãe pode tudo.
Mãe não quer nada.
Mãe quer muito.
Mãe gosta de qualquer coisa.
Mãe não gosta de nada.
Mãe não reclama.
Mãe resmunga o tempo todo.
Tem mãe que é cega.
Mãe faz comidinha.
Mãe cozinha mal.
Mãe odeia cozinhar.
Mãe erra no sal.
Mãe não gosta de ouvir reclamação.
Mãe tem paciência de Jó.
Mãe perde a paciência.
Mãe bate.
Mas mãe apanha da vida o que for preciso para proteger a gente.
Mãe faz muita falta.
Mãe não deveria morrer.
Mãe é santa.
Mãe é bacana.
Mãe é chata.
Mãe é alegre.
Mãe é triste.
Mãe não desiste,
Mãe é mãe, só muda de endereço…

E é justamente o endereço da mãe um dos principais determinantes da sua felicidade.

Se ela morar nas periferias das grandes cidades brasileiras, por exemplo, terá uma chance enorme de se tornar uma pessoa infeliz, de sentir na pele aquela que talvez seja a pior dor que existe no mundo, que é a perda de um filho.

Pior: a dor de ter o filho assassinado.

Sabe por quê?

Porque no Brasil são assassinados por ano nada menos que 10.500 crianças e jovens.

Isso significa que diariamente 29 mães se debruçam sobre o corpo do filho baleado, esfaqueado, linchado…

Vinte e nove mães que provavelmente nunca mais serão felizes.

Para quem gosta de recordes, aí vai mais um: no quesito jovens assassinados, o Brasil é vice-campeão mundial, só perde pra Nigéria…

Portanto, milhares de mães não terão nada a comemorar no seu dia, nenhum presente, nenhum beijo, nenhuma lembrancinha.

Espero sinceramente que você, leitora, esteja fora destas estatísticas.

Para você, do fundo do coração eu desejo um feliz dia das mães.

Comments

comments

2 pensamentos em “Mãe é mãe, mas nem todas são felizes”

  1. Caramba! Essas estatísticas são “de matar” (literalmente). Que loucura! Justamente quando eu estava começando a ler “The Rainbow Comes and Goes” (correspondencia entre Anderson Cooper e sua mãe, Gloria Vanderbilt)…. esse texto veio como uma porrada. Mas é por isso que vc é Caversan. Parabens mais uma vez querido
    LOVE
    Gerald

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *